26/03/11

Despedida

Desde que me propuseram um desafio que tenho andado a escrever poesia, a maioria não rima porque não tenho alma para rimar... mas este poema é dedicado a um amigo e apesar de estar na primeira pessoa do singular e de eu saber porque ele partiu pensem que eu não sei e que esta na primeira pessoa do plural, de resto espero que gostem! ;):


És como um irmão,
Um melhor amigo inesquecível,
Um amor que não chegou a acontecer e
Que agora nunca terá futuro.

Porquê?
Porque me deixas-te?
Porque partiste deixando-me só?
A remoer na culpa de te deixar ir
Sem um adeus definido.

És único e insubstituível,
Bom demais para ser verdade,
Tão bom que eras uma ilusão e partiste,
Sem explicação.

Porquê?
Se não querias partir,
Porque me deixas-te tu então?

Sem o meu ombro amigo,
Sem um “olá” todos os dias,
Sem a risada por tudo e por nada
Já não faz sentido,
Já não vale a pena.

E se te sentes assim...

Porquê?
Porque me deixas-te?
Porque partiste deixando-me só?
A remoer na culpa de te deixar ir
Sem um adeus definido...

Com tudo não me despedi,
Adeus, boa viagem, fica bem,
Mas apesar da despedida não explicaste ainda,
Porquê?

by: Miriame

6 comentários:

Gonçalo disse...

Adorei :D

Isabel disse...

Gostei (:

StééF'ernandes disse...

Gostei, sigo :)

Ghost Writer disse...

Eu nao gostei.... eu amei!! Muito bom! Não interessa se rima ou não, o qe interessa é que te exprimas da melhhor maneira. Da tua maneira. Só assim será poema, nao pela rima mas pelo sentimento. Nunca chegámos a falar miriame...LOl

Ana Ferreira disse...

ta muito mesmo mesmo..


adorei :)

Ana Ferreira disse...

ta muito fixe mesmo

adorei :)